top of page
Buscar

A arte do equilíbrio: Família vs. trabalho ou família & trabalho



A ideia de “equilíbrio” é um tema cada vez mais presente no nosso dia-a-dia. Porquê? Porque percebemos que o equilíbrio é crucial para o nosso bem-estar, satisfação e felicidade.

Quantas vezes já disse ou ouviu “tenho que fazer x mas por causa do trabalho/família não consegui fazer y?” ou “estou sempre de um lado para o outro a tentar cumprir todas as minhas obrigações?”.

Precisamos de compreender que o trabalho e a família são duas esferas interdependentes: para que se possa conseguir um desempenho eficaz em ambas é necessário tempo, energia e envolvimento.


Nos últimos anos, têm ocorrido diversas mudanças societais (e.g., aumento de famílias monoparentais ou de casais com dupla carreira) e no mundo laboral (e.g., globalização da economia, intensificação do “ritmo” de trabalho), as quais, podem influenciar o equilíbrio entre o trabalho e as restantes esferas da vida do indivíduo, como é o caso da familiar. Até recentemente, a vida privada era vista como algo que não interferia no trabalho e a relação entre as duas esferas raramente entrava no nosso discurso.


Atualmente, os indivíduos que desenvolvem uma carreira enfrentam dois grandes tipos de tensões: as existentes entre a carreira e a família e as causadas pelas diferenças existentes entre as experiências vividas pelos homens e pelas mulheres. No que concerne ao primeiro aspeto, as pessoas têm cada vez mais dificuldade em encontrar tempo e energia para desempenharem os vários compromissos que têm com o trabalho e com a família.


Em geral, o conflito trabalho-família, como fonte de stress mental e físico, tem sido identificado como gerador de consequências negativas, que vão desde o aumento dos riscos para a saúde dos pais trabalhadores, diminuição do desempenho dos papéis parentais, diminuição da produtividade, lentidão, absentismo, diminuição da motivação, insatisfação pessoal e profissional, depressão e problemas de saúde física.

No entanto, quando o trabalho é experienciado positivamente poderão emergir efeitos positivos na família, e vice-versa, ou seja, o trabalho e a família poderão funcionar como fontes de significado e de identidade através das quais homens e mulheres equilibram os seus compromissos.

Um bom equilíbrio trabalho-família tem inúmeros efeitos positivos, incluindo menos stress, menor probabilidade de esgotamento e promove uma maior sensação de bem-estar. Então, como podemos criar um bom equilíbrio entre trabalho-família?

  • Aceite que não existe um equilíbrio perfeito: não se esforce para ter o horário perfeito; esforce-se por ter um horário realista. Alguns dias pode-se concentrar mais no trabalho, enquanto outros dias pode ter mais tempo e energia para praticar os seus hobbies ou passar mais tempo com os seus entes queridos. O equilíbrio é alcançado ao longo do tempo, não todos os dias.

  • Encontre um emprego que goste: embora o trabalho seja uma norma social esperada, a sua carreira não deve ser restritiva. Se não gosta do que faz, então dificilmente se sentirá feliz ou em equilíbrio. Não é realista gostar de todos os aspetos do seu trabalho, mas ele precisa de ser emocionante o suficiente para que não tenha medo de sair da cama todas as manhãs.

  • Priorize a sua saúde: a sua saúde física, emocional e mental geral deve ser a sua principal preocupação. Se está a passar por um período em que experiencia maior ansiedade ou sintomas que perturbem o seu funcionamento normal e acha que a terapia o beneficiaria, encaixe essas sessões na sua agenda, mesmo que tenha que sair mais cedo do trabalho. Se está a experienciar algum tipo de doença física, não tenha medo de avisar que está doente nos dias difíceis. Trabalhar demais impede que melhore.

  • Não tenha medo de se desconectar: cortar de vez em quando os laços com o mundo exterior permite-nos recuperar do stress semanal e dá-nos espaço para que outros pensamentos e ideias surjam.

  • Tire férias: às vezes, desconectar-se de verdade significa tirar férias e desligar completamente do trabalho por um tempo. Quer as suas férias consistam numa estadia de um dia ou numa viagem de duas semanas, é importante reservar um tempo para recarregar as suas baterias, física e mental.

  • Reserve tempo para si e para os seus entes queridos: embora o trabalho seja importante, não deve ser a sua ocupação exclusiva. Priorize as atividades ou hobbies que o fazem feliz. Tente, também, planear o tempo com entes queridos, crie um calendário para encontros românticos e familiares. Pode parecer estranho planear um encontro individual com alguém com quem vive regularmente, mas isso garantirá que passa bons momentos com essa pessoa, sem conflitos entre a vida profissional e pessoal.

  • Estabeleça limites e horários de trabalho: estabeleça limites para si e para os seus colegas, de forma a evitar um esgotamento. Ao sair do escritório, evite pensar em projetos futuros ou responder a e-mails da empresa. Considere ter um computador ou telefone separado para o trabalho. Se isso não for possível, use navegadores, e-mails ou filtros separados para as suas plataformas de trabalho e pessoais.

  • Estabeleça metas e prioridades (e cumpra-as): estabeleça metas alcançáveis implementando estratégias de gestão de tempo, analisando a sua lista de tarefas e eliminando tarefas que têm pouco ou nenhum valor. Preste, também, atenção aos momentos em que é mais produtivo no trabalho e reserve esse tempo livre para as atividades mais importantes relacionadas com o trabalho. Estruturar o seu dia pode aumentar a produtividade no trabalho, o que pode resultar em mais tempo livre para relaxar fora do trabalho.

Não se esqueça, o equilíbrio é algo muito pessoal, explore e tome consciência de qual é o estilo de vida que melhor se adapta a si e às suas necessidades.

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page