Feminismo - lutas, ideias e extremismos

Atualizado: 2 de mar.



Alguém ainda se recorda das ideias do Feminismo?

O que acha que é o Feminismo?

Será o poder da mulher? Será a ideia de que a mulher deveria governar acima do homem, "domesticar" o homem, ficar acima do homem?

Será que por me considerar feminista, não posso, como mulher, deixar que um homem abra a porta do carro para mim ou puxe a cadeira para me sentar?


Vamos voltar à ideia original e tentar perceber o Feminismo efetivamente.

Acredito que com um olhar mais profundo poderemos todos tornar-nos feministas, homens e mulheres (falando do ponto de vista de sexo biológico).


O Feminismo parece ser uma ideia com bastante bom-senso, ora vejam a definição que a Wikipedia apresenta:

Feminismo é um conjunto de movimentos políticos, sociais, ideologias e filosofias que têm como objetivo comum: direitos iguais e uma vivência humana por meio do empoderamento feminino, dos direitos das mulheres e da libertação de padrões patriarcais baseados em normas de género. Envolve diversos movimentos, teorias e filosofias que defendem a igualdade entre homens e mulheres, além de promoverem os direitos das mulheres e os seus interesses.

Quando e como é que as ideias do feminismo ficaram distorcidas? Parece que nos esquecemos todos desta conceção inicial e o feminismo tornou-se um "bicho mau" assustador que apenas inclui procissões de mulheres que se recusam a fazer a depilação exigindo mais direitos gritados pela rua.


O Feminismo é muito mais que isso e é necessário para podermos assegurar ainda hoje direitos iguais para homens e mulheres.

Vamos analisar alguns dados rápidos:

  • Na União Europeia, as mulheres ganham, em média, 16,2% menos do que os homens.

  • Em 2013, para conseguirem ganhar o mesmo que os homens ganharam em 2012, as mulheres, em média, teriam de trabalhar mais 59 dias, ou seja, exatamente até 28 de fevereiro de 2013.

  • Em Portugal, as mulheres ganham, em média, menos 18% do que os homens.

  • A desigualdade salarial entre mulheres e homens, em Portugal, é tanto maior quanto mais elevado o nível de qualificação. Esta desigualdade é particularmente acentuada na categoria de quadros superiores, na qual as mulheres auferem menos 28,2% do que os homens em termos de remuneração média de base.


Ainda acham que o Feminismo não é útil ou importante, que já não faz sentido pensar nestas questões e lutar pela igualdade?


Três vagas de Feminismo:

  • Até à década de 1960

  • De 1960 a 1980

  • De 1980 até hoje


Diferentes tipos de feminismo

  • Feminismo Marxista

  • Feminismo Radical

  • Feminismo Liberal

  • Feminismo Cultural

  • Feminismo Pós-Moderno

  • Feminismo Pós-Colonial

  • Pós-Feminismo

Podemos ver que existem diversas correntes do Feminismo e o Radical é apenas uma delas entre várias.


O feminismo radical enfatiza as diferenças entre homens e mulheres, mas sublinhando a desigualdade de poder e a hierarquização que resultam dessas diferenças. Enfatiza o Estado como uma entidade patriarcal e necessariamente opressora das mulheres, argumentando que o campo de luta tem de ser necessariamente na sociedade civil. O Estado é sempre masculino numa perspetiva feminista e, por isso, qualquer política estatal, nomeadamente legislativa, irá traduzir, mais ou menos subtilmente, formas de subordinação das mulheres.


Esta posição do Feminismo Radical é o que implica que as atitudes sejam mais "violentas" do ponto de vista social, que haja mais revolta, mais voz para exigir a mudança das políticas do Estado. Essas atitudes podem muitas vezes ser mal interpretadas e vistas como um "histerismo" conjunto feminino.


As feministas liberais consideram que as mulheres são tão racionais quanto os homens, mas estão confinadas à esfera privada. Defendem que a igualdade significa igualdade de oportunidades entre homens e mulheres de modo a que estas tenham condições, tal como os homens, para fazer escolhas racionais que sejam do seu interesse. Têm uma abordagem mais amigável do Estado.


Sente-se agora mais capaz de analisar as questões do Feminismo de forma informada?

Somos muito rápidos a julgar quando possuímos apenas parte da informação e isso pode levar a erros de perceção, e a atitudes e posições sociais e políticas perigosas.


Espero ter ajudado a torná-lo um(a) feminista :)

29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo