Psicologia é para todos?!



Quantas vezes ao longo da sua vida ouviu alguém dizer “Psicólogos? Isso é coisa para malucos!”. Ou talvez, “Ir ao psicólogo? Para quê? Eles só falam.” E quantas vezes já pensou que talvez até beneficiasse de terapia mas por medo de ser julgado ou por vergonha do que possam pensar de si, acaba por não procurar ajuda?


Deixe-me dizer-lhe que não foi o único a ouvir estas afirmações ou a sentir-se envergonhado quando se fala de psicoterapia e aconselhamento psicológico. Mas, agora, mais do que nunca, as ideias pré-concebidas sobre a psicologia, psicoterapia e aconselhamento têm que ser dismistificadas para que consigamos todos nós, sem julgamentos e pressões alheias agirmos consoante as nossas necessidades.

Repare, quando sente uma dor física, não se coíbe ou pensa duas vezes em ir ao seu médico e analisar o problema, certo? Não fica preso em ruminações alimentadas pela vergonha, nem vai ao seu médico às escondidas ou mascarando-se. Ora, o nosso objetivo passa por aqui. Não queremos que fique preso a vergonha ou culpa por se sentir de determinada forma, por estar a necessitar de ajuda para lidar com as feridas que não são tão visíveis aos olhos dos outros.


A saúde mental é tão importante quanto a nossa saúde física, e as duas estão intimamente ligadas. Atente, muitas pessoas, ao logo da sua vida vão ter questões relacionadas com a sua saúde mental. Estudos apontam que 1 em cada 5 pessoas irão ser diagnosticadas com perturbações mentais ao longo da sua vida.


Aqui estão alguns dos mitos e conceções erradas que pode ouvir relativamente ao apoio e saúde psicológica.

  • Ir à terapia significa fraqueza ou instabilidade

Por vezes, sentimos que temos de resolver os problemas sozinhos. Admitirmos que precisamos de ajuda nem sempre é fácil (a maioria das vezes não é!!), mas, às vezes, todos precisamos de ajuda e procurá-la é, por si só, um auto de coragem.

Quando procuramos ajuda estamos desde logo a valorizar-nos e admitir que precisamos de fazer algumas mudanças na nossa vida. A terapia pode ajudar a resolver e ultrapassar alguns dos obstáculos que esteja a enfrentar, produzir mudanças positivas, apoiar o seu desenvolvimento pessoal. Não interessa se esses obstáculos são grandes ou pequenos. São obstáculos, e não precisa de lidar com eles sozinho.

  • A terapia só se vai focar na minha infância

Durante muitos anos, este mito foi perpetuado pelos media, e muito se deve ao papel de Sigmund Freud no campo das ciências psicológicas. Apesar de muitas das perturbações mentais terem origem em traumas de infância, um psicólogo pretende ajudá-lo a lidar com as dificuldades que enfrenta na sua vida diária.

A história e desenvolvimento na infância constitui um fator relevante para a terapia, permitindo entender alguns padrões cognitivos e comportamentais do indivíduo. Contudo, o foco passa por aprendermos a lidar e a reagir de um modo mais saudável às situações do nosso dia-a-dia.

  • O meu problema não é grave o suficiente para ir ao psicólogo

A maioria das pessoas acredita que precisamos de ter questões graves ou traumas severos para beneficiar de terapia, mas isso não é verdade. Voltemos à analogia da dor física e da sua visita ao médico. Se sentir uma dor física que, de alguma forma, impacta o seu funcionamento normal vai querer averiguar se tudo está bem, certo? Na psicoterapia passa-se o mesmo.

A terapia pode ajudá-lo a lidar com todas e quaisquer dificuldades pela qual esteja a passar e que não está a conseguir resolver sozinho. Qualquer preocupação é válida e digna de ser tratada. A ideia de que os nossos problemas não são sérios o suficiente, pode ser perigosa e levar alguém a não procurar o suporte que necessita.

Não compare a sua dor ou dificuldade à dor ou dificuldade dos outros; o mais importante é cuidar de si mesmo.

  • Porque hei-de ir ao psicólogo se tenho amigos e família para falar?

Uma rede de suporte social, como amigos e família, é essencial e podem ajudá-lo em certas áreas da sua vida. Mas, eles não são profissionais de saúde mental, e podem não ser os mais indicados para o aconselhar, apesar das suas boas intenções.

  • Se precisar de ajuda, não adie!

Esqueça o estigma à volta da ideia de procurar um psicólogo. Se precisar de ajuda e se for do seu melhor interesse, procure ajuda de um profissional de saúde mental.

Procurar terapia é uma forma de explorar os seus pensamentos, sentimentos, ações e ajuda-lo-á a compreender-se melhor, bem como aos seus contextos, de forma a obter satisfação, compaixão e aceitação na sua vida em geral.


14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo